Porque temos o direito de dizer o que sentimos, pensamos e queremos

>> 20071212

Inspirada em uma notícia & acontecimento do mês passado avanço com uma proposta …

Passo a citar o motivo de tal inspiração:

“O vice-ministro da Educação timorense, Paulo Assis, pediu esta sexta-feira ao Governo português para enviar mais professores para Timor-Leste no âmbito da cooperação na educação entre os dois países, noticia a Lusa.

« (…) Nesse sentido, o governante timorense revelou que, «em princípio, Portugal vai enviar mais 30 professores para Timor-Leste, que deverão ficar sob o encargo do governo timorense».

Em declarações à agência Lusa, o secretário de Estado da Educação, Jorge Pedreira, afirmou que o envio de mais 30 professores no início do próximo ano lectivo está dependente de várias questões, nomeadamente das condições de alojamento e segurança.

«É preciso haver condições. Do ponto de vista das infra-estruturas não há condições. Não há capacidade de alojamento e transporte, que é fundamental. A questão da segurança também é importante», sublinhou.” (in Portugal Diário on line, 2007/11/16)

Ora … condições para um professor exercer dignamente em Portugal é que não há. Assim, abdicando das preocupações do Sr. Secretário de Estado da Educação e, aceitando correr riscos, eu, Margarida Azevedo, afirmo a minha total disponibilidade para ir para Timor-Leste contribuir para a educação e formação das pessoas em um Estado que se mostra verdadeiramente empenhado em promover a educação e formação do seu povo (ao contrário do Estado Português que, para além de maltratar os seus professores e cidadãos, apenas se interessa por estatísticas abdicando daquilo que é fundamental ou seja, assegurar ao cidadão a obtenção de ferramentas pessoais para se poder vir a realizar plenamente.

Em resumo, considero a resposta do Sr. Secretário de Estado como “um mandar para canto” a proposta de Paulo Assis. Ou então, preferiu não desenvolver o assunto em público … E aí … na mesma, não esteve à altura.

Amigos, sinto-me francamente desiludida com este Portugal… Toda a vida estudei para ser Professora, descobri cedo uma das minhas vocações (ou uma ínfima parte de uma tal vocação que considero bonita …). Abdiquei de muita coisa, entre elas, seguir as pegadas do meu Pai em Medicina (grande homem aquele que aceita e respeita a vontade de seus filhos, mesmo consciente da precariedade desse caminho). Persegui os meus ideais e convicções e o saldo final foi uma grande bofetada. Um vazio enorme.

É por essas razões, aliadas a um encanto natural e solidário com o povo de Timor-Leste, gente lutadora e com grande peso em sofrimento, que publico este desabafo neste cantinho, Casa Sagrada para mim, pois representa a esperança, a inocência e a vontade de caminhar humanamente.

Sou órfã de Mãe, ou pior, abandonada por uma Mãe que existe e não quer saber de seus filhos. Sinto-me órfã também, em modo mais abrangente e menos doloroso, pelo país onde nasci. Sim, muito menos sofrido …

Também sei que este desabafo só me trará polémicas mas, será lido certamente por pessoas que se sentirão solidárias. E nos dias de hoje, é um acto de coragem e de humildade dizer tais coisas. Sem modéstias … apenas com o coração nas Mãos!

Um abraço a todos aqueles que tiveram a pachorra de me ler.

6 comentários:

Anónimo,  quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 às 18:58:00 WET  

Não poderia estar mais solidário...

HEROS sexta-feira, 14 de dezembro de 2007 às 18:55:00 WET  

Não te desiludas com o teu, com o nosso País!
Tu estás desiludida é com as pessoas, com quem te trouxe ao mundo -Aqui sim reside a tua maior revolta! - tu sabes que não estás só!. Sossega o teu espírito para encontrares a melhor forma de lutar pelos teus ideais. Sê prudente! Usa a inteligência que tens nos momentos em que estiveres um pouquinho mais tranquila, porque só assim terás o discernimento capaz para lutares pelos objectivos tão justos e humanos que tens dentro de ti.
Um beijinho.
EROS

LNT,  terça-feira, 18 de dezembro de 2007 às 00:20:00 WET  

Margarida,

Que grito de revolta mais sentido e doloroso! Mas, é também um grito de esperança e desejo de partir em busca da felicidade e da realização profissional.
Vai em frente minha amiga, eu cá fico para te seguir e dar todo o meu apoio!

Tu mereces e vais ser feliz num país lindo, onde o sol nasce mais cedo!
Um abraço solidário e cúmplice,
LNT

Margarida segunda-feira, 24 de dezembro de 2007 às 15:35:00 WET  

Heros querido, bem sabes que caminho contigo SEMPRE :)
E repara, este Portugal, fez de mim parte do que sou e prezo-o muito no entanto, foi invadido por gente sem escrúpulos. Esses, não sei quem os criou. Uma coisa é certa, não me revejo neles ... Por isso, esteja eu onde estiver, terei comigo a minha essência. E essa, é de muitas pessoas. Humanidade, fraternidade e se possível, conhecimento, cultura :)
Poderia continuar, entusiasmada, a referir o que tanto apreciamos!
E ... sobre quem me trouxe ao mundo, só tenho é que estar grata. E como sabes, este coração é grande. O resto, na sua impetuosidade e outras características é que é meio tolo ;)
Espero que estejas bem. Dentro do possível ... Não estamos sozinhos :)
Bjo muito fofinho!

Margarida segunda-feira, 24 de dezembro de 2007 às 15:40:00 WET  

LNTa, obrigada.
Às vezes, temos mesmo que berrar e mostrar as nossas fragilidades. Pelo menos, assim penso. E curiosamente, saímos compensados.
Tu és uma pessoa rara. Tenho muita sorte!
E minha amiga, desejo-te muita força e ânimo. Que tu tens, eu sei :)
Um beijinho especial de corrida senão ainda aparecem as malandras das lágrimas!

Enviar um comentário

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP